Buscar
  • carolinemarim

Sandra Harding


Nascida em 1935 nos Estados Unidos, é uma filósofa que se dedica a teoria pós colonial. Epistemologia, filosofia da ciência e metodologia científica são campos nos quais se considera fundadora pelo enfoque da perspectiva feminista. Contribuiu muito ao desenvolvimento da epistemologia do ponto de vista como aos estudos multiculturais da ciência. Seu trabalho influenciou não só o âmbito da filosofia, mas também o das ciências sociais. Em relação aos seus graus acadêmicos, obteve seu título de doutorado na Universidade de Nova York, em 1973. Entre suas atividades profissionais podemos assinalar que trabalhou durante vários anos na Universidade de Delaware e foi professora visitante nas universidade de Amsterdam, na Costa Rica e no Instituto de Tecnologia de Zurich. Entre 1996 e 2000 dirigiu o Centro de Estudos das Mulheres da Universidade da Califórnia (los Angeles). Foi coeditora da revista Signs entre 2000 e 2005. Atualmente é professora da Escola para Graduados em Educação e Estudos da Informação da Universidade da Califórnia (Los Angeles). Consultora de um número considerável de agências internacionais que atuam dentro do feminismo e da ciências pós colonialista,entre as quais se encontram a Organização Panamericana da Saúde e da United Nations Commission on Science and Technology for Development. Foi convidada como coautora a desenvolver o capítulo sobre “Ciência e tecnologia: a dimensão de gênero” para a UNESCO World Science Report em 1996. Autora prolífica e entre suas obras se encontram a edição e coedição de várias antologias e livros, entre os que citamos Can Theories be Refutes? Essays on the Duhem-Quine Thesis (1976); The Science Question in Feminism (1986), con Jean F.O’Barr; Sex and Scientific Inquiry (Harding e O’Barr, 1987), Feminism and Methodology: Social Science Issues (1987), Whose Science? Whose Knowledge?:Thinking from Women's Lives (1991); The “Radical”Economy of Science: Toward a Democratic future (Harding, 1993), Is Science Multicultural? Poscolonialisms, Feminisms, and Epistemologies (1998); com Uma Narayan, Decentering the Center: Philosophy for a Multicultural, Poscolonial, and Feminist Word (2000); com Robert Figueroa, Science and Other Cultures: Issues in Philosophies of Science and Technology (2003); com Merril B.Hintikka, Discovering Reality: Feminist Perspectives on Epistemology, Metaphysics, Methodology, and Philosophy of Science, 1983 e 2006; Science and Social Inequality: Feminist and Poscolonial Issues (2006); Science from Below: Feminisms, Poscolonialities, and Modernities (2008). De seus últimos interesses há uma tradução castelhana “Después del eurocentrismo: desafíos para la investigaçión feminista en el norte” (Harding, 1995).



Profa. Sandra Harding - Objectivity and Diversity: Tensions for Feminist Postcolonial Research

Receba nossas atualizações

© 2020. Orgulhosamente criado por Epistemologias Afetivas