Buscar
  • carolinemarim

María Cristina Lugones


Conhecida como María Lugones, nasceu na Argentina, mas considera o Novo México seu lugar adotivo, segundo consta em sua nota biográfica de Making Face, Making Soul. Despois de haver obtido uma maestria na Universidade da Califórnia em Los Angeles, recebeu seu título de doutora em Filosofia e ciência Política da Universidade de Wisconsin em 1978. Ensinou Estudos de Mulheres e Filosofia no Carleton College onde organizou o relativo a temas de racismo e gênero. Depois de finalizar sua etapa no Carleton, continuou sua carreira profissional na Universidade de Binghamton, onde, além de ser professora, tem em sua responsabilidade a direção do Programa de Estudos Latino Americanos e Caribenhos. Nesta mesma universidade desenhou um novo plano de estudos feministas. Lugones escreveu uma grande variedade de ensaios e publicações relacionadas com raça, gênero, violência sexual, pluralismo e multiculturalismo. Escreveu com Elisabeth Spelman “Have We Got a Theory for You: Feminist Theory, Cultural Imperialism, and the Demand for The Woman’s Voice (1990), que faz parte de numerosas antologias. No ensaio “Playfulness, ‘World-Traveling and Loving Perception” publicado em Making Face, Making Soul (1990) examina o conceito de arrogância nas relações humanas. Reuniu os momentos importantes de seu pensamento “Pilgrimages / Peregrinajes: Theorizing Coalition Against Multiple Oppressions (2003). É reconhecida pela elaboração de uma teoria feminista pluralista. Seu trabalho político e filosófico é centrado na formação de coalizão de resistência ao entretecido das múltiplas opressões . Em uma visita realizada a Argentina em 1987 introduziu a filosofia feminista estadunidense.






María Lugones - Decolonial Feminism, part 1








María Lugones, “Decolonial Feminism” part 2.

Receba nossas atualizações

© 2020. Orgulhosamente criado por Epistemologias Afetivas